Uncategorized

A beleza do decadente

Fábricas abandonadas, cenários excêntricos e homens de máscara em ambientes naturais chegam hoje à galeria Tap Seac, cristalizados em fotografia. “Infecção. Indústria. Upsych”, de Vaclav Jirasek, é uma exposição dividida em três partes ligadas pelo gosto do fotógrafo checo pela beleza do decadente.

Organizada pelo Instituto Cultural e pela Embaixada da República Checa em Pequim, a exposição já foi mostrada no bairro artístico 798, na capital. As fotos de Jirasek são encenadas e afastam-se por completo da corrente ‘ver e clicar’. O fotógrafo, que estudou pintura na Academia de Belas-Artes de Praga, demora-se na escolha e na produção das imagens, e pretende transmitir com elas uma mensagem. Ao jornal Beijing Today, disse gostar “de coisas góticas e simples, que têm histórias por trás”.

Em “Infecção”, um projecto que desenvolveu em conjunto com o protagonista das imagens, tiradas entre 2000 e 2003, as fotos são descritas como o resultado de uma espécie de “terapia alternativa”. Um homem de fato, usando uma máscara hospitalar, está no meio de uma seara, de olhos fechados como quem inspira fundo. Noutra fotografia, a mesma personagem, agora já sem casaco, mas ainda de gravata, ajoelha-se numa clareira de um bosque repleta de cogumelos vermelhos, de aspecto tóxico. Ainda noutra, ele inspira através da máscara o odor, supostamente agradável, de flores cor-de-rosa.

Segue-se “Indústria”, com imagens de 2004 e 2005, uma reflexão sobre o ambiente pós-industrial na República Checa. São fábricas abandonadas, retratos de mineiros de cara e roupa cobertas de fuligem, resquícios de design industrial em decadência. Os cinzentos, castanhos e azuis escuros predominam, transmitindo uma certa aura melancólica.

“Upsych” introduz o burlesco e o caótico. São fotos tiradas desde 2004, resultado de um projecto desenvolvido a longo prazo que junta vários artistas checos num antigo palácio renascentista na cidade de Kurivody. Grande parte da decoração do espaço, que nas fotografias se apresenta amontoada de forma desordenada, provém de objectos reciclados encontrados no lixo.

Molduras, velas, quadros religiosos e mobílias poeirentas compõem uma foto. Fios eléctricos, rádios, telefones, candeeiros, resultam noutra, a preto e branco. Outras duas imagens são monocromáticas: numa tudo é azul, dos tecidos e roupas pendurados aos objectos de casa de banho, e na outra o conjunto, que parece ser de quarto, é totalmente vermelho.

“Infecção. Indústria. Upsych – Exposição de Fotografia Contemporânea” é hoje inaugurada na galeria Tap Seac, pelas 18h30.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s