Uncategorized

O mundo de volta a Beishan

Girls in AirportsO festival de músicas do mundo de Beishan, edição 2013, está de volta a Zhuhai, amanhã e domingo. O alinhamento conta oito projectos, que chegam de França, Dinamarca, Malásia, Taiwan, Coreia do Sul, Malásia e Cantão.

O teatro da vila de Beishan, em Zhuhai, tem duas tardes cheias de música marcadas para amanhã e domingo, com bandas europeias e asiáticas. Na edição de 2013 do projecto cooperativo do grupo Delta Bridges, TPR Education e Linkyard Culture, há oito razões para cruzar a fronteira e passar o fim-de-semana do lado de lá. Os concertos arrancam em ambos os dias às 17h30 e terminam pelas 22h30.

Para amanhã, os destaques são a banda dinamarquesa Girls in Airports e a artista, francesa, Nina Van Horn, uma curiosidade dos blues americanos cuja voz foi moldada por “whiskey e cigarros”, anuncia a organização. Van Horn, de figura generosa, corresponde às buscas de Internet com um chapéu texano e muitas tatuagens. Promete-se carisma e muita presença em palco e as credencias estão numa dupla participação na Festiblues de Montreal, Canadá.

Nina Van Horn, antiga bailarina clássica, anda pelos palcos desde os 14 anos. Além da dança, passou pelo canto lírico como soprano numa companhia francesa. Mas, em certo ponto da sua carreira, viu-se nos Estados Unidos como cantora country, no Texas, e de seguida cantora de blues, em Nova Orleães. O caminho foi feito na sela de uma Harley e, bem assim, como muito whisky e cigarros.

Na expectativa para a actuação de Van Horn, há outros três projectos para apreciar amanhã em Beishan. A tarde começa com maRK, banda de Hong Kong, um quarteto de jazz que cruzou o funk e que descobriu uma mistura suficientemente exótica para cativar muitos festivais da modalidade. Entres estes, o HONK Festival de Nova Iorque, o TEDxBoston, o Taichung International Festival e o Beantown Jazz Festival.

Segue-se Liyana Fizi, da Malásia, com três músicos a acompanhá-la num concerto acústico de sonoridades entre a folk e a bossa nova. A cantora, e autora, teve o arranque da sua carreira musical numa banda indie-pop chamada Estrella, e tempo mote nas suas canções a contemplação e a introspecção.

Ao fim do dia tocam os Girls in Airports, banda dinamarquesa que dá a volta ao mundo sozinha se for preciso. Ao lirismo nórdico, associam-se percussão tribal, beats funky, dub e ambient, e ainda clarinete, saxofone, piano e erhu. Tudo com muito ritmo.

Os dinamarqueses repetem domingo, a pares com Mifun, projecto de Cantão, Orbit Folks, de Taiwan, e Youn Sun Nah, da Coreia do Sul. Os Mifun são seis músicos que tomaram por missão divulgar o folclore original da região de Guanxi, de onde são originários. A tradição é reinventada com um registo independente.

Os Orbit Folks são outro dos projectos dedicados à recuperação do folclore que entram no alinhamento de Beishan. A ponte entre as tradições musicais e o jazz já lhes valeu o prémio de melhor álbum no Festival de Música e Artes Tradicionais de Taiwan, em 2011.

Youn Sun Nah, da Coreia do Sul, ficou guardada para o fim do festival. A cantora e compositora, autora de seis álbuns, foi revelação no seu país e nos melhores palcos de jazz. A sua colaboração mais popular é o álbum “Voyage”, gravado com o guitarrista Ulf Wakenius e o baixista sueco Lars Danielesson.

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s