Uncategorized

A vida deles dava um filme indiano

PARAGRAFO 128-1Catorze anos depois de ter começado em Londres, a gala de Bollywood acontece em Macau pela segunda vez. Entre os filmes nomeados há uma evidente vontade de internacionalização. O cinema indiano já não cabe na Índia.

Hélder Beja

Quando Freida Pinto, a actriz de “Slumdog Millionaire”, sorriu para os fotógrafos em Cannes, seguida de uma enorme delegação de Bollywood, percebeu-se que o cinema indiano tinha chegado a um lugar onde nunca estivera antes.

A Índia foi o país convidado da última edição do mais importante festival de cinema dos nossos tempos, que decidiu celebrar os cem anos da indústria cinematográfica daquele país, data assinalada em 2013. A actriz e membro do júri em Cannes Vidya Balan foi fotografada ao lado de Steven Spielberg e Leonardo DiCaprio, usando trajes tradicionais; as objectivas não largaram o proeminente piercing no nariz da bela Sonam Kapoor; e o actor Amitabh Bachchan passeou-se ao lado do restante elenco de “O Grande Gatsby”, uma das obras de maior cartaz na Riviera Francesa. A Índia já não era apenas o país distante dos filmes exóticos e pouco considerados. A Índia estava no patamar mais alto do cinema.

Agora, em Macau, o Venetian prepara-se para receber toda a indústria de Bollywood, pela segunda vez em quatro anos, para a entrega de prémios da International Indian Film Academy (IIFA). Shahrukh Khan, Shahid Kapoor, Abhishek Bachchan, Deepika Padukone, Madhuri, Prabhudeva e Sridevi Kapoor podem parecer à partida nomes estranhos, mas basta uma busca online para perceber a dimensão destas estrelas de Bollywood. Todos estarão em Macau, de 4 a 6 de Julho, e todos actuarão no palco em que serão entregues os galardões da maior indústria de imagens em movimento do mundo, bem à frente de Hollywood.

Os nomeados

“Barfi”, do realizador Anurag Basu, lidera as nomeações da IIFA, estando a concurso em 15 categorias. O filme situa-se nos anos 1970 e conta a história de amor entre um homem surdo-mudo, Barfi, e uma mulher, Shruti, que tenta lutar contra as pressões sociais que a compelem a ter uma relação com um homem dito ‘normal’. O trailer de “Barfi” está, como seria de esperar, pejado de momentos de dança e música, seguindo à risca aqueles que são os estereótipos do cinema indiano.

Outro dos filmes em destaque é a comédia “Vicky Donor”, assinada por Shoojit Sircar, que segue os mesmos preceitos da obra anterior. A narrativa assenta nas peripécias de um dador de esperma e nas repercussões que a decisão de contribuir para a fertilidade alheia terá na sua vida.

“Gangs of Wasseypur I”, outro dos nomeados, já foge aos habituais clichés de Bollywood e é um filme de acção localizado no nordeste da Índia, a psicar o olho a outros públicos mais avessos ao costumeiro musical indiano. O filme é produzido e realizado por Anurag Kashyap e conta história de crime e violência perpetrada por três famílias que lutam pelo poder.

“Agneepath” é a outra proposta de acção entre nomeados para esta gala da IIFA. Dirigido por Karan Malhotra, o filme narra uma história de vingança, de um homem que vê o seu pai ser assassinado por um barão da droga, é obrigado a fugir e tem como único objectivo regressar para vingar o pai e recuperar a honra da família.

Entre todos os filmes a concurso, destaque ainda para “English Vinglish”, produção que teve um percurso internacional acima daquilo que é normal para um filme indiano. “English Vinglish” é o sonho americano visto pela lente de Gauri Shinde. A famosa actriz Sridevi Kapoor incorpora a história de milhares de indianos que partem para os Estados Unidos da América em busca de uma vida melhor. Totalmente assente nas dificuldades que a língua representa para alguém que chega de fora, esta comédia acompanha a aventura de uma mulher que tem de aprender Inglês para poder integrar-se no país onde supostamente estão todas as oportunidades. Também aqui, não faltam os habituais momentos de dança que celebrizaram a indústria de Bollywood e que fizeram com que Danny Boyle decidisse copiar a fórmula com “Slumdog Millionaire” e convencer a Academia de Hollywood com um filme indiano que não é um filme indiano.

Em percurso inverso, de fora para dentro, “Kahaani” é um drama que conta a história de Vidya Bagchi, papel interpretado pela famosa actriz Vidya Balan. Vidya é uma mulher grávida que viaja para Calcutá em busca do marido, que desapareceu. O filme é realizado por Sujoy Ghosh e revela-se uma das propostas mais sóbrias desta colheita de Bollywood.

Os vencedores serão revelados na noite de 6 de Julho, no Venetian Macau.

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s