Editorial

Parágrafo #12

Sara Figueiredo Costa

fullsizerender-7

Durante a época imperial de Roma, um homem chamado Apicius dedicou-se a anotar as muitas receitas culinárias que conhecia. Não se sabe ao certo qual dos dois ou três homónimos que viveram nesse tempo e nesse lugar, e cujo gosto pela comida era conhecido de todos, seria este Apicius, mas para o impacto que o livro De Re Coquinaria haveria de ter no conhecimento gastronómico das eras futuras, pouco importa. O que sabemos é que Apicius era um gastrófilo meticuloso e sabemos também que o modo como registou as suas receitas foi tão importante para a história da alimentação como para compreendermos gostos, trocas, desejos e embirrações dos habitantes de Roma e do seu império. É esse o grande fascínio dos livros de receitas, para lá da nossa maior ou menor apetência pela cozinha e os seus segredos, e é isso que faz dos livros que escolhemos destacar nesta edição do Parágrafo obras muito mais amplas do que as iguarias que descrevem. Se à mesa nos conhecemos melhor, em tudo o que antecede a mesa descobrimos parte considerável daquilo que somos e do modo como nos relacionamos uns com os outros.

Será quase de mau gosto passar da gastronomia para uma greve de fome, mas o mundo não é um lugar de bom gosto, pelo menos sempre e em todos os lugares, pelo que não vale a pena esconder-lhe as contradições. Já na página ao lado, orgulhamo-nos de apresentar um excerto do diário que Luaty Beirão escreveu durante o tempo da sua prisão em Angola, uma condenação sem qualquer vestígio de cumprimento de lei, decidida na sequência de um encontro onde se discutia um livro sobre democracia e liberdade de expressão. Com Luaty Beirão, que entretanto cumpriu uma greve de fome ao longo de mais de um mês, estiveram presas outras dezasseis pessoas. Possa a publicação deste diário mostrar que o tempo dos que decidem resistir à tirania não acabou e que aquilo a que chamamos, tantas vezes num tom condescendente, idealismo continua a ser um gesto fundamental para que a democracia e os direitos humanos possam ser a regra e não a excepção.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s