Navegar É Preciso / Poesia

NAVEGAR É PRECISO

 

https://jogosflorais.com

A crítica e a divulgação de poesia têm cada vez menos espaço na imprensa cultural, o que não significa que não continuem a publicar-se livros de poesia e que não haja quem sobre eles saiba reflectir com pertinência. Jogos Florais, um novo espaço criado na internet vem colmatar parte dessa falha da imprensa em língua portuguesa, reunindo colaborações de vinte e sete pessoas em torno da poesia, sem que a nacionalidade dos poetas ou a sua “novidade” sejam critérios editoriais:

«Nestes Jogos Florais, ao contrário do que sucedia na Roma Antiga, não se celebra a deusa Flora, nem se coroam cortesãs com flores. E ao contrário do que ainda sucede nos certames literários municipais, também não oferecemos prémios.»

Entre os colaboradores, há académicos que têm na poesia um objecto de trabalho, mas há sobretudo leitores com percursos muito distintos e há, até, uma estudante de 13 anos que “detesta poesia”. Entre referências comuns ou individuais e leituras a descobrir, o site que agora começou promete abrir um espaço de partilha, onde a crítica assume a sua vertente de esmiuçar semânticas, analisar ritmos e perceber remissões para outros versos, mais ou menos canónicos, mas onde também se assume uma vontade de ler a partir de um conjunto de referências que talvez fujam aos parâmetros analíticos cristalizados pela academia, mas que nem por isso perdem pertinência (veja-se o início do texto de Ana Maria Pereirinha sobre os poemas de Ellen Davies, Sewing Lessons: «Gosto deste poema porque me traz referências autobiográficas — e essa é uma razão válida e honesta para qualquer leitor gostar de um poema à primeira leitura: memórias de infância. Fui um anacronismo na minha geração (nascida na década de 60 do século XX). Sou uma menina prendada – aprendi a descer as bainhas dos meus vestidos (e a ler) aos 6 anos, com a minha mãe; aos 14 já não dizia a ninguém que sabia bordar, tricotar, fazer crochet (e que gostava do Eurico, o Presbítero). Tudo prendas embaraçosas para uma adolescente dos anos 80: I cursed my knowing hands.»

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s