Navegar É Preciso

Navegar É Preciso

https://ldod.uc.pt/

Num dos fragmentos que compõem essa obra magistral, uma espécie de enciclopédia desordenada da alma humana, que é o Livro do Desassossego, escreve Bernardo Soares: «E eu chego a ter não sei que misterioso modo de visionar esses absurdos — não sei explicar, mas eu vejo essas cousas inconcebíveis à visibilidade.» Tudo o que Fernando Pessoa registou num dos livros fundamentais da literatura portuguesa está agora disponível para os leitores a partir do écrã do computador, num site que oferece diferentes edições da obra, explicando as muitas hipóteses de arrumação dos seus fragmentos e fornecendo outras informações relevantes para a leitura. O site chama-se Arquivo LdoD, abreviatura para ArquivoDigital Colaborativo do Livro do Desassossego, uma ferramenta criada pelo Centro de Literatura Portuguesa da Universidade de Coimbra, com a organização de Manuel Portela e António Rito Silva.

Eis a apresentação que pode ler-se na abertura do site: «O Arquivo LdoD é um arquivo digital colaborativo do Livro do Desassossego de Fernando Pessoa. Contém imagens dos documentos autógrafos, novas transcrições desses documentos e ainda transcrições de quatro edições da obra. Além da leitura e comparação das transcrições, o Arquivo LdoD permite que os utilizadores colaborem na criação de edições virtuais do Livro do Desassossego. Inclui ainda um módulo de escrita que, futuramente, permitirá aos utilizadores escreverem variações a partir dos fragmentos do Livro. Deste modo, o Arquivo LdoD combina um princípio representacional com um princípio simulatório: o primeiro consiste na representação da história e dos processos de escrita e de edição do Livro; o segundo consiste na possibilidade de os utilizadores assumirem diferentes papéis no processo literário (ler, editar, escrever), usando a flexibilidade do meio digital para experimentarem o Livro do Desassossego como máquina literária.» Navegando entre as edições de Jacinto do Prado Coelho, Teresa Sobral Cunha, Richard Zénith ou Jerónimo Pizarro, os leitores podem aceder a todo o conteúdo do livro, percebendo-lhe a genealogia e as derivações, e podem até fugir destas edições, escolhendo uma nova ordem para aceder aos fragmentos de Bernardo Soares.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s