Entrevista / Poesia

Jidi Majia: na China, a poesia está na moda

por Stacey Qiao

Um dos convidados da próxima edição do Rota das Letras – festival literário de Macau – a decorrer entre 15 e 24 de Março – é o poeta Jidi Majia (吉狄马加). Actual vice-presidente da Associação Chinesa de Escritores, Jidi Majia é um poeta várias vezes premiado, com extensa obra publicada e um autor que olha para a cena poética chinesa com optimismo, no presente e em relação ao futuro.

Como vê a cena poética na China actual, relativamente às últimas décadas? Há um interesse crescente pela poesia?

A grande mudança na cena poética chinesa nas últimas décadas é o facto de ser cada vez mais activa. Prova disso é o facto de não haver um estilo ou um grupo de poetas que consiga ser o único a influenciar a poesia actual. A poesia, uma forma de expressão relativamente independente, sempre teve alguns leitores, mas as mudanças trazidas pela emergência da internet criaram um cenário sem precedentes. A popularidade crescente e a disseminação da escrita poética, e da sua leitura, on-line estão em grande. A internet não mudou apenas o modo de as pessoas viverem, mudou também o ecossistema da poesia.

Claro que isso também trouxe questões novas: como estabelecer e determinar cânones poéticos? É um desafio que temos de enfrentar. É difícil alcançar um consenso, mas uma coisa é certa, os requisitos básicos da boa poesia existem. É um facto que a poesia está na moda e a chegar à vida de cada vez mais pessoas, e com a ajuda de muitos novos media. O programa televisivo Chinese Poetry Contest, emitido pela CCTV, colocou as coisas num novo patamar de audiência, e muitas contas de WeChat que divulgam poemas atraem um número crescente de leitores. Além disso, de acordo com as estatísticas de alguns editores de livros, a circulação de colecções de poesia também tem aumentado significativamente.

Como podemos conquistar os leitores mais novos para a poesia, tanto clássica como contemporânea?

Não é uma conquista difícil. Há muitas formas que levam à apreciação da poesia, mas creio que a leitura pessoal é sempre a mais importante. Num certo sentido, a escrita de um poeta é independente e pessoal (o que não quer dizer que não tenha relação com a vida social; acredito que um verdadeiro grande poeta deve ter responsabilidades sociais), o mesmo acontecendo com o leitor. Para um bom leitor, qualquer leitura é um processo de participação na própria obra. De acordo com a teoria da Estética da Recepção, ler também é um acto de criação. Claro que perceber como tornar a poesia mais popular em termos de leitura, através de iniciativas várias, continua a ser um desafio no nosso meio, no sentido de criar uma vida espiritualmente mais rica para a sociedade.

Acredita que a poesia tem um papel no desenvolvimento da cultura chinesa contemporânea e na exploração da identidade chinesa no mundo?

A China é um país de poesia. Essa confiança auto-cultural exige um conteúdo e poesia dá-nos isso mesmo. Por exemplo, os poemas da dinastia Tang não marcam apenas uma idade de ouro da poesia chinesa, mas igualmente uma idade de ouro da poesia mundial. Actualmente, num mundo onde as trocas e a proximidade culturais são cada vez maiores, os poetas e a poesia chinesa assumem um papel cada vez mais importante. Posso dizer com toda a confiança que a poesia chinesa contemporânea não fica a perder quando a comparamos com a poesia de outros países e a China está entre as regiões mais activas e inovadoras em termos poéticos. Uma vez disse que a poesia não pode carregar todas as tarefas pesadas que a humanidade tem pela frente, mas acredito que é uma parte importante de uma espécie de fundação espiritual que se exige para a nossa sobrevivência. Talvez seja porque existe poesia que a criação humana pode alcançar tanta riqueza e ser tão brilhante. A poesia, com a sua independência e o seu significado universal, é um dos modos mais efectivos de construirmos uma comunidade capaz de partilhar um destino comum.

Como vice-presidente da Associação Chinesa de Escritores, que papel atribui a esta instituição na promoção da poesia e de que modo esse papel se tem concretizado?

A Associação Chinesa de Escritores, em conjunto com várias outras associações, tem feito um trabalho muito importante. Talvez a China continental seja um dos lugares com maior número de actividades em torno da poesia neste momento. Isso mostra que a ideia de uma China aberta ao mundo não passa apenas pela economia, mas também pela comunicação e o diálogo cultural com outros países. Entre outras actividades, o Festival Internacional de Poesia do lago Qinghai, a Semana internacional de Poesia de Chengdu, a Semana Internacional de Poesia da Rota da Seda em Xichang o Festival Internacional de Poesia e Vinho de Luzhou tem sido plataformas importantes para as relações culturais e poéticas entre a China e outros países, criando um impacto notável na cena poética mundial.

E a sua poesia, como tem evoluído ao longo dos anos e de que modo o facto de pertencer à minoria étnica Yi tem sido relevante no seu trabalho?

O meu trabalho em diferentes épocas é aquilo que melhor ilustra as mudanças constantes no meu modo de escrever. Quanto ao facto de pertencer à etnia Yi, diria que é o meu contexto espiritual como autor. Em termos de inspiração, cada poema é diferente, de outro modo, a escrita afastar-se-ia da sua verdadeira complexidade e das suas múltiplas dimensões humanas.

Que expectativas tem para a edição deste ano do Rota das Letras, no qual vai participar?

Espero que possa ser uma plataforma sem barreiras a permitir a comunicação entre todos os escritores e poetas, no sentido de abrir um espaço mais amplo para a liberdade de espírito. Acredito que isso pode ser alcançado através do esforço da organização.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s